Como criar campanhas de email marketing automáticas

Como criar campanhas de email marketing automáticas

O email marketing é uma ótima forma de desenvolver relacionamento com clientes, além de mostrar excelentes resultados como um canal de vendas. Desenvolver estratégias no sentido de automatizar campanhas de email marketing vem sendo uma solução crescente, porém, ainda existe muitas dúvidas em torno das melhores estratégias e práticas, bem como muitas dificuldades no“como fazer”.

NEWSLETTER

A newsletter é a forma mais simples de email marketing, onde o email é enviado para toda a base de contatos. Esse envio é feito sem nenhum tipo de critério de filtro ou segmentação, o que significa que toda base receberá o mesmo email, independente do perfil, interesse ou jornada de compra.

O principal problema desse tipo de estratégia é que ou os emails acabam sendo genéricos ou específicos de mais. Assim, são entregues sem respeitar o interesse dos perfis pertencentes à base.

O resultado desse tipo de prática é a diminuição do interesse dos leads, a diminuição da efetividade do email e, por consequência, a diminuição da taxa de abertura e o aumento de descadastramentos.

E-MAILS SEGMENTADOS

Uma forma de resolver o problema da forma simples de email marketing – newsletter – é a segmentação da base e o envio de emails segmentados. Segmentação da base de leads consiste em dividir a base utilizando determinados critérios, com o interesse.

Por exemplo: Uma instituição de ensino segmenta sua lista por áreas de interesse. Sendo assim, ela cria Segmentação 1 [Graduação em Administração]; Segmentação 2 [Graduação em Ciências Contábeis]; Segmentação 2 [Pós-Graduação em Aministração]; etc…

Agora, com uma lista segmentada, a empresa pode oferecer um conteúdo mais assertivo para a sua base, melhorando os resultados. Mas o esforço para desenvolver essa estratégia é muito grande, pois em, geral os números de disparos de emails aumentam e são feitos de forma manual.

AUTOMAÇÃO DE MARKETING

Para resolver a questão criada pelo aumento de disparos é que começaram os esforços para desenvolver a automação de marketing.

A forma mais básica de automação são os autoresponders, onde o lead que entrar na lista na segmentação X vai receber automaticamente a sequência de emails programados para essa segmentação. As funções de autoresponders consistem basicamente em enviar uma série de emails pré-programados, de forma automática.

Ainda utilizando o exemplo da instituição de ensino, pensando em um visitante do site que realizou uma ação (como se inscrever para receber novidades ou fazer download de um e-book) relacionada à especialização em Comércio Exterior. Veja:

Dia 0 – E-mail de agradecimento pelo interesse pela instituição;
Dia 2 – E-mail com as principais oportunidades na área de comércio exterior;
Dia 5 – E-mail com as principas dificuldades da área;
Dia 9 – E-mail oferecendo o e-book “15 dicas para ter sucesso na área de Comercio Exterior”;
Dia 13 – E-mail oferecendo o curso de especialização em Comércio Exterior com desconto especial.
A estratégia de automação aumenta bruscamente o resultados das suas campanhas de marketing digital. Porém, ela não está inserta de problemas. Os principais são:

• Não importa o que aconteça, o lead continuará recebendo todos os emails programados no autoresponder;

• As ferramentas de autoresponder não possuem inteligência para detectar, por exemplo, os casos onde os emails devem ou não ser enviados.

É preciso ter muito cuidado, pois alguns casos podem ser desagradáveis. Imagine um aluno entrar em um fluxo onde no final ela vai receber um email com uma oferta de 20% de desconto, sendo que ele não ganhou nenhum desconto quando fez sua inscrição?

LISTAS DINÂMICAS E ESTÁGIO DE COMPRA

Uma forma de resolver esse incômodo é trabalhar com ferramentas mais inteligentes que os autoresponders. Para isso é que foram criadas as listas dinâmicas.

A partir da análise de diversas características, como meio de entender em qual estágio de compra o lead se encontra, é possível enviar um fluxo de emails mais adequado. Caso o lead esteja pesquisando por um conteúdo mais básico, é enviada uma sequência de emails com conteúdo mais informativo.

A AUTOMAÇÃO COMPLETA E EFETIVA

Hoje, os estágios mais avançados na automação de marketing são os workflows, que evoluem em dois aspectos em relação às listas dinâmicas:

• Os workflows podem identificar características e ações específicas, mudando o lead de fluxo. Se o lead no primeiro email (informativo) já demonstra interesse pelo seu produto, ele é retirado desse fluxo e colocado em um fluxo mais avançado;

• Utilizam informações decorrentes de interações com os leads que vão além do email (equipe de venda, telemarketing, mídias sociais, etc) e são utilizadas como critério de disparo de email.

CONCLUSÃO

Sem dúvida, a automação de marketing por workflows é a mais completa e a que traz os maiores resultados, mas também a mais complexa. Esse tipo de estratégia exige mais planejamento e dedicação, além de uma boa construção de campanhas e conteúdo.

Veja também: artigos relacionados

Olá, deixe seu comentário para Como criar campanhas de email marketing automáticas

Enviando Comentário Fechar